Querido diário,

é domingo fresco e suave. Visto calça de moletom vermelha, meia com desenhos da folha de maconha, blusão de um cara que fiquei num carnaval de 2017 que tem o desenho do mago Goa Gil e um casaco preto. Um beck bem mediano de tamanho e qualidade nos meus lábios. Mariaalice não quis atender o Skype porque está ouvindo tiquequê e preferiu trocar algumas mensagens.

Eu tô naquela vibe pós lisergia ressaca maresia preguiça. Tomei café preto e pão com ovos mexidos com tomate coentro e cebola. Muita água. Li um pouco de Patti Smith. Ouço neste momento: All Green, How can you mend a broken heart.

Aliás, querido diário, ando refletindo muito sobre Cristo e Pedagogia da Autonomia e o Lsd têm sido um instrumento um guia filosófico espiritual karnal surreal para estas reflexões e entendimentos. Ultimamente quando tenho tomado lsd me conecto muito com a natureza e sempre sinto e penso em Cristo. Sempre me faz muito sentido e de fato me sinto tomando uma hóstia sagrada que me conecta ao cosmo universo me faz sentir o presente. Tô salvando algumas idéias espontâneas no meu diário do instagram, risos. Aliás, preciso salvar também aqui: in my dark side of the word, porque o instagram é polícia careta e simplesmente apaga minhas publicações, certamente por conter palavras como maconha beck e lsd. E sinceramente, não vou tentar burlar o sistema escrevendo com números como vejo que os jovens fazem e eu sempre acho confuso e sei lá, não gosto. Sigo escrevendo maconha beck e lsd como tem que ser. Ah, <tô cansada de tanta babaquice tanta caretice desta eterna falta do que falar>.

Enfim, eu estava dizendo que nestes momentos de inspiração e lisergia quando de madrugada me vem algumas reflexões e eu publico (no sentido de fato tornar público) aquela reflexão que é somente reflexão em des-construção cuja pretensão está na reflexão, é só para ensaiar e anotar: tô querendo cada vez mais falar sobre o lsd. Putaquepariu eu amo demais o lsd! Mas, vou deixar isso pra depois porque é um longo papo, por isso, como eu estava dizendo, ando apenas ensaiando refletindo e anotando.

Devo dizer que gosto muito de como estar agora: um clima fresco suave. Um bom som e silêncio. Eu chapada de maresia preguiça ressaca pós lisergia uma tranquilidade.

Amanhã é segunda e como de costume, volto pras atividades físicas, trabalhar e estudar. Aliás, preciso me dedicar mais ao mestrado. Este troço de tempo dinheiro e conta ainda é muito chato, trabalho em casa e não posso reclamar, mas ainda preciso mesmo ter um Teto todo meu com tempo pra produzir/criar. Tô curtindo muito estar trabalhando escrevendo, traduções, etc. e tal, mas confesso que preferia sim, me dedicar apenas ao mestrado e as minhas criações/produções. Estou nesta luta, trabalhando para pagar contas comer ter um armário um frigobar uma escrivaninha uma estante uns livros precisos e divertidos um pouco de droga e um pouco de salada ter uma casinha simples e aconchegante. Parece muito simples e é, mas me custa passar o dia todo trabalhando pensando em trabalho atrás de trabalho e enquanto não consigo um trabalho pra pagar as contas eu nem consigo dormir direito comer direito. Mas, ainda assim eu tento e acho que até consigo ficar tranquila e segurando bem as pontas, a peteca, a barra, sei lá o quê, só sei que me seguro.

Desde dezembro que minha pequena casa tem sido bastante habitada e isso interfere muito na minha produção e rotina. Esta semana estive muito angustiada com isso e repensando muito sobre ajuda. Sobre ajudar alguém apoiar alguém. Hoje entendo que ajuda e apoio de fato só rola e acontece quando é uma via de mão dupla, quando de fato há uma reciprocidade. Não adianta você ajudar/apoiar alguém que não sabe aproveitar a ajuda e logo não se ajuda. Às vezes, as pessoas só querem caridade. Até porque: tem que ser forte pra pedir socorro. Quando a gente se coloca no lugar de ajudar/ser ajudado de apoiar/ser apoiado necessariamente assumimos, pra nós mesmos, nossa vulnerabilidade responsabilidade. Daí entendemos que ser humano é relação conversação parceria. Mas, geral não sabe o que é parceria, fica uma expressão muito vaga. Parceria não é dividir pizza lsd ou beck. Parceria são quando as partes envolvidas têm objetivos bem comuns e simples: de se desenvolver. E isso só acontece se envolvendo. E isso só acontece encarando de verdade: sempre vai aparecer sombras conflitos coisas feias. Identificou? Não gostou? Melhore até que você se reconheça com beleza. Porque a Beleza, a Bondade e a Justiça vem do ato de praticar o conhecimento. O devir com a verdade. É preciso se relacionar para praticar o conhecimento. Se relacionar com o redor. É perceber um chão que precisa ser varrido. Uma planta que precisa ser regada. Colocar água no filtro. Acender um incenso. Uma flor no jardim. Um bolo de chocolate. Um abraço. Olhar nos olhos. Conversar. Falar com palavras com voz com som com tom com coração. Só porque isso é genuinamente humano.

Tenho aprendido que quando a gente se relaciona bem consigo mesmo, quando a gente se cuida, a gente simplesmente se cuida. Independente de onde estejamos e com quem estejamos. Porque se a gente se prioriza, se cuida e zela pelo próprio bem estar, a gente cuida de onde a gente estar. A gente star presente sempre. Penso que o Cuidado é a ação para uma boa relação: conosco e com os outros, com o mundo, com as coisas ao redor.

E como ser humano aprende muito por relação é que é preciso Cuidado e atenção na relação. Mas, olha só, quando nos cuidamos naturalmente nos relacionamos com cuidado e atenção.

Querido diário, sei que pode parecer um pouco confuso todo este papo de poucos fatos mais de muito afetos afetados. Ufa! Mas, querido diário, tu sabe que aqui também é meu espaço de simplesmente desopilar, né?

Vou beber um copo d’água e reler tudo que já escrevi pra vê se faz sentido.

Voltei. Não sei se deu pra entender muito bem mas tento organizar. O cuidado de si é essencial para o bem viver, o se relacionar bem (consigo, com os outro e com o ambiente). O cuidado de si é essencial para uma boa relação e são pelas relações que nos conhecemos e nos desenvolvemos. Para uma relação acontecer é preciso cuidado, presença, atenção. É necessário envolver para desenvolver. O envolvimento é sempre presente. Pode ser laço pra atar ou nó para desatar. Mas, para envolver tem que estar aqui agora. Ser e estar presente.

Percebo que ser e estar presente custa muito pra muita gente. Porque tem que mostrar a cara. Tem que olhar nos olhos. Tem que falar. A fala sai atrapalhada. Sai algumas coisas erradas. Vulnerabilidade mesmoooo que chega dá medo. De mãos vazias você consegue encarar uma companhia? Tira a mão do bolso, larga o celular, apaga o cigarro, deixa este copo vazio cheio de ar pra lá, me dá tua mão, põe ela no teu coração, consegue encarar uma companhia de mãos vazias? Eu não tenho nada a oferecer e nada quero de você. Dispenso caridade e não faço. Mas, se a gente quiser a gente pode se relacionar: tem que ter cuidado. Tem que ter presença. Tem que se envolver. Tem que desenvolver. Tem que encarar os olhos. Tem que se expor. Expor a insegurança. Construir a confiança expondo a insegurança. Isso que segura uma relação. E quando você percebe que nem sempre tu precisa pedir ajuda, quando você tem relações onde as pessoas entendem sobre o cuidado. Se o provérbio nos ensina que É preciso uma aldeia inteira para educar uma criança, a consequência deste verbo traz outro verso, que não se contrapõe, mas completa: em uma aldeia inteira não é preciso educar uma criança.

O beck tá acabando. A comida tá acabando. Eu tô dura. Correndo atrás de um trampo para comprar beck e comida e pagar o aluguel de maio e todas as contas de maio etc. e tal.

Eu ainda ía falar sobre o dia de sábado: dia de lsd praia trilha Cristo Adão galera improvisada. Mas, já falei demais por aqui hoje, volto depois para falar mais dos fatos que me afetam. Por hoje é isso, boa noite terráqueos.

Florianópolis, 25 de abril de 21

18h40

1+

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima